ENEM 2014

Vida obscura

 

Ninguém sentiu o teu espasmo obscuro,
ó ser humilde entre os humildes seres,
embriagado, tonto de prazeres,
o mundo para ti foi negro e duro.

Atravessaste no silêncio escuro
a vida presa a trágicos deveres
e chegaste ao saber de alto saberes
tornando-te mais simples e mais puro.

Ninguém te viu o sentimento inquieto,
magoado, oculto e aterrador, secreto,
que o coração te apunhalou no mundo.

Mas eu que sempre te segui os passos
seu que cruz infernal prendeu-te os braços
e teu suspiro como foi profundo!

SOUSA, C. Obra completa. Rio DE JANEIRO: Nova Aguilar, 1961.


Com uma obra densa e expressiva no Simbolismo brasileiro, Cruz e Sousa transpôs para seu lirismo uma sensibilidade em conflito com a realidade vivenciada. No soneto, essa percepção traduz-se em

A)

sofrimento tácito diante dos limites impostos pela discriminação.

B)

tendência latente ao vício como resposta ao isolamento social.

C)

extenuação condicionada a uma rotina de tarefas degradantes.

D)

frustação amorosa canalizada para as atividades intelectuais.

E)

vocação religiosa manifesta na aproximação com a fé cristã.

Descubra sua nota no Enem! Faça agora um simulado gratuito mega rápido.
FAZER SIMULADO arrow_forward
AIO
A AIO utiliza cookies para garantir uma melhor experiência de usuário
Saber mais
Aceitar