ENEM 2010

Homens da Inglaterra, por que arar para os senhores que
vos mantêm na miséria?

Por que tecer com esforços e cuidado as ricas roupas que
vossos tiranos vestem?

Por que alimentar, vestir e poupar do berço até o túmulo
esses parasitas ingratos que exploram vosso suor — ah,
que bebem vosso sangue?
SHELLEY. Os homens da Inglaterra. Apud HUBERMAN, L.
História da Riqueza do Homem. Rio de Janeiro: Zahar, 1982.

 

A análise do trecho permite identificar que o poeta romântico Shelley (1792-1822) registrou uma contradição nas condições socioeconômicas da nascente classe trabalhadora inglesa durante a Revolução Industrial. Tal contradição está identificada

A)

na pobreza dos empregados, que estava dissociada da riqueza dos patrões.

 

B)

no salário dos operários, que era proporcional aos seus esforços nas indústrias.

 

C)

na burguesia, que tinha seus negócios financiados pelo proletariado.

 

D)

no trabalho, que era considerado uma garantia de liberdade.

 

E)

na riqueza, que não era usufruída por aqueles que a produziam.

 

Descubra sua nota no Enem! Faça agora um simulado gratuito mega rápido.
FAZER SIMULADO arrow_forward
AIO
A AIO utiliza cookies para garantir uma melhor experiência de usuário
Saber mais
Aceitar