ENEM 2015

Cântico VI

Tu tens um medo de

Acabar.

Não vês que acabas todo o dia.

Que morres no amor.

Na tristeza.

Na dúvida.

No desejo.

Que te renovas todo dia.

No amor.

Na tristeza.

Na dúvida.

No desejo.

Que és sempre outro.

Que és sempre o mesmo.

Que morrerás por idades imensas.

Até não teres medo de morrer.

E então serás eterno.

MEIRELES. C. Antologia poética, Rio de Janeiro: Record. 1963 (fragmento).

 

A poesia de Cecília Meireles revela concepções sobre o homem em seu aspecto existencial. Em Cântico VI, o eu lírico exorta seu interlocutor a perceber, como inerente à condição humana,

A)

 a sublimação espiritual graças ao poder de se emocionar.

B)

 o desalento irremediável em face do cotidiano repetitivo. 

C)

 o questionamento cético sobre o rumo das atitudes humanas.

D)

 a vontade inconsciente de perpetuar-se em estado adolescente.

E)

 um receio ancestral de confrontar a imprevisibilidade das coisas.

Descubra sua nota no Enem! Faça agora um simulado gratuito mega rápido.
FAZER SIMULADO arrow_forward
AIO
A AIO utiliza cookies para garantir uma melhor experiência de usuário
Saber mais
Aceitar